01 fevereiro 2011

Sobre ouvir e falar - By Kk Dalzoto

Ela é muito especial para mim. E muito inteligente também.
Minha amiga acima de tudo. Irmã, confidente, companheira, comadre, e agora, colaboradora oficial do Mil Faces.

Sim, todo mês, minha querida "Kk" terá um espaço reservado aqui para expor suas idéias e pensamentos.
É com muito prazer que lhes apresento o seu primeiro post!

Com a palavra, Camila Dalzoto:

*********************************


Sobre ouvir e falar

Fonte: Google
Desde pequenos aprendemos com nossos pais que temos uma só boca e duas orelhas para “falarmos menos e ouvirmos mais”. Eu discordo, em termos, dessa teoria.

De fato devemos ouvir mais as pessoas. Dar mais atenção ao que elas dizem, estar mais atentos aos diálogos e às histórias que nos relatam. Ouvir e responder. Opinar. Aconselhar. Ou, somente, ouvir. Mas nem por isso devemos deixar de falar. Tampouco falar menos.

Precisamos mesmo é soltar o verbo. Falar sobre o calor, o frio, o vento que faz lá fora e a chuva que está por vir. Falar daquele filme que a gente assistiu, que era ruim e a gente não recomenda. Falar de futebol, da saída do Jonas e do olé que o Grêmio levou do Ronaldinho Trairúcho pela segunda vez. Falar do BBB, do Rodrigão, que é tudo de lindo e gostoso. Falar dos nossos sonhos, das nossas vontades. Falar do colega de faculdade, da colega de trabalho, do professor que tem um caso com a professora, do chefe, do pai, da mãe, dos irmãos e dos filhos que incomodam. E que alegram e divertem. Falar dos impostos, que tornam tudo tão caro aqui no Brasil e nos fazem correr pro Uruguai e enlouquecer nas free-shops. Falar desses políticos corruptos. E também dos eleitores corruptos, que reclamam da situação, mas vendem seus votos por telhados, paredes, cestas-básicas. Falar daquela pessoa invejosa e fofoqueira, pobre de espírito, que inferniza tua vida. Falar daquele show que foi bom demais. Falar daquele show que ainda queremos assistir. Falar das peripécias dos filhos, dos irmãos pequenos, dos avós que já estão bem “lelés da cuca”. Falar bobagem com as amigas, ouvindo um bom Jack Johnson e tomando um chimarrão. Falar sério com o maridão, assistindo o Jornal Nacional com a Tv no mudo. Falar com o filho, com a paciência de elefante, que ele “não pode fazer isso outra vez”. Falar agradecendo, parabenizando, elogiando. Falar que não concorda. Falar que ama. Falar que sente saudades. Falar que foi bom estar na companhia de quem quer que seja, se tiver sido realmente bom. Falar que hoje tu acordou de mau-humor e não quer conversar. Falar que tu ficou de cara com a atitude que o/a fulano/a tomou. Falar que não se arrepende e que faria de novo. Falar quando menos se quer falar.

Quando falamos, concretizamos o pensamento. Passamos nossos sentimentos aos outros. E reforçamos eles dentro de nós. Desta forma, fazemos bem a nós mesmos e também a quem nos escuta.

Kk Dalzoto
www.facebook.com/kkdalzoto

13 comentários:

  1. Olá Camila, que legal!!! Vc tem uma super irma, heim!! Adorei seu texto. Mostrei aos meus filhos adolescentes!! Muito informativo! Parabéns e aguardo outros posts interessantes. Beijos

    ResponderExcluir
  2. bem vinda ao blog
    adorei seu texto, vc escreve muito bem e de forma deliciosa...
    sempre passo por aqui e agora enho mais uma boa razão para as visitas
    beijos e muito boa sorte ...

    ResponderExcluir
  3. Nossa muito legal que vc escreveu Camila!
    A proposito seja bem vinda ao mundo da blogesfera!
    Pode deixar que sempre que vc escrever estaremos aqui para prestigiar seus posts!
    ôooo Jú hein....familia talentosa vc tem hein?!Além de serem todos lindos...ainda tem o maior jeitinho de escritores...kkkk(tem mais alguem que escreve maravilhosamente bem nessa familia?!)rs*.
    beijo grande na Ju e na mana KK...
    Opa!E no pequeno Luquinhas Jipeiro tambem!
    Danny e Matheus
    www.mamysdematheus.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Bem Vinda KK
    Parabéns pelo post, A-D-O-R-E-I!!!!

    Bjokas em toda a família e tudibom!

    ResponderExcluir
  5. ótima idéia dar um espçao pra Cá Dalzoto expor ideias aqui....e concordo com ela, mas preciso aprtender a falar mais....eu só ouço e escrevo..e tudo aquilo que eu queria falar fica rpeso na garganta, faz mal pra mim sabe.....preciso de terapia amiga ...rsss....bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju,
    Saudades amiga!!
    Parabéns pela irmã, o talento é de família assim como a beleza!!!
    Saber falar é, assim como saber ouvir, uma virtude e essencial pra todos os relacionamentos.
    Camila, parabéns pelo texto, eu que já sou fã da Jú e da Duda agora sou fã das três. Você está super, hiper, mega convidada pra ir tricotar com a gente lá no RECOMADRES, pode ir escrevendo um textinho pra nós....
    Beijos às duas,
    Cris João.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Vim retribuir a visita e conhecer o blog.
    Gostei muito do texto, concordo inteiramente com ele. É preciso escutar sim, mas falar também, pois o diálogo é a solução da maioria dos conflitos e o expressar livremente a chave para uma sociedade equilibrada.
    Beijo
    Adri

    ResponderExcluir
  8. Adorei! Meus filhos falam pelos cotovelos, mas vejo q isso incomoda muita gente! Vamos rever nosso conceitos!! Bjos!:)

    ResponderExcluir
  9. Ju
    Já diziam os sábios. "Precisamos falar menos e ouvir mais. É por isso que temos 1 boca e 2 ouvidos" Assim, podemos e devemos pensar antes de soltar alguma palavra ao vento!
    Já tinha pensado nisso?
    Bj
    Deborah

    www.delicias1001.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adorei o post...paranbens

    beijos
    Talitah Sampaio

    ResponderExcluir
  11. Camila querida, parabens!
    O talento para escrever é genético mesmo.
    Juju, amei a sua idéia.
    Tomara que a Cá faça logo um blog pra ela tbe.
    Bjks pra vcs

    http://blogdaclauo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Olha só, então quer dizer que escrever bem é uma característica da família Dalzoto?? Que bacana a ideia de uma colaboradora! Bem-vinda Camila!
    bjos

    ResponderExcluir