18 setembro 2010

As vezes me sinto tão só...

Não sei se é a TPM ou se, no fundo, é um estado de descontentamento constante, que ora aflorece ora se esconde atrás de minhas ilusões, mas acontece que às vezes me sinto tão só...

Não que eu esteja sozinha, pois são duas coisas diferentes. Na verdade, estou sempre acompanhada, geralmente é pelo Lucas.

E não é coisa de ""menina mimada", que não tem tudo o que quer, do jeito que quer... É algo superior, algo que eu ainda não consegui decifrar...

Hoje, por exemplo, acordei com uma dor de cabeça enorme, sem poder contar com ninguém. O marido tinha saído logo cedinho porque, segundo ele, precisava ir ao plantio e carregar um caminhão, como se não houvesse um motorista para isso. A verdade é que ele GOSTA de fazer isso, se sente feliz e contente lá naquele mato, e ao invés de só mandar, ele gosta mesmo é de pôr a mão na massa, no caso, no volante do caminhão.

O fato é que tínhamos marcado uma viagem, e no meio um almoço, que seria super legal, e ele disse que até as 11h estaria de volta. Eu, então, acordei e fiz todas as coisas que uma mãe e dona de casa tem que fazer, com dor ou sem dor. Tentando sempre respirar fundo, cultivar a paciência, aquela coisa. E as 11h chegaram, sem o marido, é claro.

Liguei e ele ainda estava lá. Nem carregou o caminhão ainda! Mas que droga!!! É sempre assim, eu que tenho que ter paciência, eu que tenho que contar até 1000, eu, eu, eu, sempre eu! E o pior é que não posso simplesmente ir, pois preciso levar junto um documento do querido, pois nossa viagem é para finalizar o contrato de viagem das nossas férias! Que raiva!!!!

E como se não bastasse, liguei para a casa da minha mãe, quem sabe poderíamos tomar um chimarrão e almoçar todos juntos, mas ela estava estudando (e não a culpo por isso, mas sinto tto falta dela!), o meu pai estava fazendo campanha (é, campanha política mesmo. Já falei que ele é um político? Pois é.), minha irmã provavelmente estava dormindo e a outra, "coitadinha", estava lá na minha tia. E, por fim, eles vão almoçar num restaurante horroroso, daqueles que vc sai e todo mundo sabe que vc almoçou lá, porque o cheiro fica impregnado nas roupas e nos cabelos.

Resultado: almoçarei com o Lucas, no "nosso" restaurante, onde almoçamos geralmente em família. (Ok, eu e o Lucas somos uma família, mas eu quis dizer toda a família).

Enfim, me sinto só... e cansada tb! Cansada de tentar, de compreender, de não "explodir" e de explodir também. Às vezes eu penso que eu merecia mais. Só não sei o quê.-

14 comentários:

  1. Juzinha...!
    Poderíamos mesmo morar bem pertinho, assim, faríamos companhia sempre uma pra outra!
    Te compreendo demais.
    Aqui marido trabalha numa fábrica, onde muitas coisas dependem dele, mas ele se dá demais sabe..falta tempo pra gente, é raro podermos sair só, e só sobra domingo pra dar um passeio comigo e Clara... é chato né..a gente sente muita falta mesmo de algo..tentamos explodir mas sempre devemosser compreensivas...
    Sabe oq melhorou pra mim? Quando inventei de fazer a faculdade à distancia, onde pude ter algo meu, pra me sentir bem viva e por dentro das coisas, já que minha família mora longe e meu pai que mora por aqui, vive voando, literalmente.

    Espero que melhore, Flor!
    Fqiue bem!
    Beijocas!
    Ju e CLara

    ResponderExcluir
  2. Oi miga.... sabe que por mto tempo da minha curta vida sentia-me assim, como vc.... sempre precisando de "algo" que não sabia o que era.... sempre precisando de mais atenção, mais "valorização".... procuramos e não encontramos, na realidade nem sabemos o que tanto necessitamos.... Bom encontrei o que realmente me realiza... o amor de Deus.... sei que é difícil, pois pensamos: mas tenho já o amor Dele... mas na realidade quando nos entregamos totalmente, deixamos que Ele conduza nossas vidas tudo se trasnforma... um livro que me ajudou muito (e o meu preferido e de cabeceira), é "o poder da mulher que ora".... não é de religião (sou católica), mas a autora nos auxilia a ter um relacionamento INTIMO com o Pai do céu, nos ajudando a encontrar a verdadeira IMPORTÂNCIA na nossa vida...... bjss e lembre-se sempre DEUS sempre está com vc....

    ResponderExcluir
  3. Ah, Ju. Seja lá o que for: tpm, carência de menina mimada, enfim...a gente não merecia ter esses dias de tristeza, né? e sei o quanto é difícil a gente tentar melhorar...mas, já que sua companhia mais fiel é o Lucas, pega ele, dá uma voltinha, leva ele pra brincar num parque, onde vc possa tomar vento na cara, respirar e até chorar sem ninguém ver....tome um sorvetão....compre um presente pro Lucas!! Isso fz um bem!!!
    beeeeeeeeeijo bem apertado!

    ResponderExcluir
  4. Ai Ju, que saco! Pega um avião e vem pra SP agora!!!!! Já passou o horário do almoço, mas podemos jantar juntas e falar bastante bobagens...
    Seria bom, não?
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Jujuba, que situação!
    Sei bem como se sente.....a gente quer uma resposta, mas não encontran né?
    Sei que muitas vezes a gente planeja algo e quando não acontece nos sentimos frustradas...como a sua viagem ou o almoço. É que mutias vezes nem todos estão na mesam sintonia que a gente, nem todos pensam com a gente. Imagine que no primeiro ano de casada recservei um hotel fazenda e fiz mil planos pra comemorar, o marido foi jogar bola prometende voltar no primeiro tempo, depois de eu pedir mil vezes pra ele não ir só naquele sábado....resultado, ele jogou os dois tempos, ficou bebendo cerveja, voltou na hora em que já era para estarmos no hotel....eu emburrada, desfiz as malas, chorei e odiei ele por uns meses.....kkkk...ou seja, me senti muito só, com vontade de sumir...era importante pra mim, mas não pra ele....sabe amiga, o que me fez me sentir melhor foi voltar a trabalhar depois que Rafa fez 6 meses e voltar pro curso de inglês e sair com as amigas pra fazer fondue ou pedir pizza na cada delas, só a mulherada, ou seja, temos que ocupar a cabeça e ser feliz....se a gente morasse perto juro que eu ia ai te visitar e ficar contigo.....se eu fosse rica tbm, pegava um avião agora e aparecia aí com Rafinha pra gente tomar um chimarrão (eu não gostei muto quando experimentei não)...kkkk..falei demais né? Mas o que quero mesmo é que vc fique bem, faz uma panela de brigadeiro de colher, pipoca, lê um livro, vê um filme, pinta com o Luquinha...quando o marido chegar finge que nada aconteceu, ou então já solta logo os cachorros....kkkk...tô aqui se precisar amiga, mesmo que virtualmente....bjs

    ResponderExcluir
  6. Ai flor... pq pessoas como vc que me identifico tanto moram longe? Affão viu... Muitas vezes me sinto assim viu... Mas olha, saiba que mesmo virtualmente pode contar comigo viu...

    Beijosssss

    PS. Tem selinho pra ti lá no meu blog

    ResponderExcluir
  7. Ju...
    Cada dia que participo mais dos blogs, fico impressionada com a gente encontra pessoas que na maioria das vezes, passam pelo mesmo que a gente tb passa...
    Ja vi isto em vários blogs: Nossos maridos trabalham demais, e sempre nós as mamães e mulheres, não entendemos, reclammos e ficamos com os filhotes, né...
    Sempre me senti como vc está... O meu marido é exatamente igual, tanto que qdo ele fala o horario que vai voltar, sempre pergunto: "do meu relógio ou do seu???", pois parecem que nossas horas passam de maneiras diferentes...
    Não, fica assim, não...
    Tem dias que sào mais complicados, mesmo... Estamos mais carentes, precisando de colinho, colinho que tanto damos diariamente...
    Olha só... estamos longe, mas é como se nós, as mamãe blogueiras, estivessemos tão perto, pelo menos, sempre que precisar desabafar...
    Aqui estaremos, para te escutar, tá...
    Bjs
    Ju

    ResponderExcluir
  8. Oi Ju,
    pode ser TPM, pode ser o efeito da dieta, pode nã ser nada disso. Também já me senti assim e melhorei muito quando entendi que eu não posso mudar o outro. O que eu posso é mudar a mim mesma. Quando percebi que as coisas na minha vida acontecem porque eu permito, eu influencio ou eu provoco. Que sempre tenho escolha. Isso me deu a sensação de ter as rédeas da minha vida nas minhas mãos. Os fatos em si não mudaram tanto, o meu marido continua sendo ausente em alguns momentos, o que mudou foi a minha reação interna e a minha expectativa e fiquei melhor. Acho que todos passamos por esses sentimentos e o importante é que encontramos uma saída.
    Estou lendo um livro, o Sushi, que uma das personagens está passadno por um momento igualzinho a esse que nós mães, donas de casa, mulheres, todas passamos. Espero que você fique logo bem. Eu não estou aí fisicamente para ficar com você (até tomaria um chimarão... ecaaaa ...., minha família é gaúcha e eu não entendo como vocês gostam disso), mas estou de coração e pensamento. Se sinta abraçada por mim. Beijos em você e no Lucas.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Ah, Você já leu a Senhora do Jogo do Sidney Sheldon? Muito bom! Eu adoro o Sidney Sheldon e li todos os livros dele. O único que eu não gostei foi aquele da biografia.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Lindona!!
    Espero que vc esteja mais animadinha...
    Querida, como sugeriu a nossa amiga Carol, pegue um avião e venha pra SP, a gente fica conversando a noite toda e amanhã toma um super café da amanhã na padaria.
    Não dá?! Então, como muito bem disse nossa amiga Chris sinta-se abraçada. Estou aqui pra dar um colinho tbe.
    Gosto muito de vc e fico admirada com sua sinceridade e sua coragem.
    Eu explodiria muuuuito mais rapido.
    Outro dia comentei uma frase que vc disse sobre o seu marido com o meu, disse a ele que com vc aprendi isto e que foi tão legal!
    Melhoras aí queridona.
    Mil bjks

    http://blogdaclauo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Ai Ju, como queria que estivéssemos mais perto... Queria te dar um abraço agora... Entendo vc, às vezes me sinto bem sozinha também. Mas, se me permite um pitaco, tente conversar com seu marido... Nem precisa ser agora, pode ser em um momento que vc perceber que ele está receptivo. Diga a ele como vc se sente. Mesmo que não mude muita coisa, ao menos vc terá desabafado...
    Se quiser conversar mais, pode me escrever, o email do hotmail funcionou!
    beijos querida, se cuida!

    ResponderExcluir
  12. Navegando pela net encontrei seu blog... sei bem como é isso.

    ResponderExcluir
  13. Ah, coração, mil desculpas, sei que tenho minha parcela de culpa! Mas também, nossas vidas são diferentes, eu saio de noite, chego tarde... Não tem como levantar cedo. Já tu não, vive outra vida, faz outras coisas, dorme cedo... Sei lá. Mas claro, nada impede que façamos passeios de tarde, de noite.. :)
    Quanto ao restaurante "horroroso", tu tbm sabe que vivemos outra realidade... E isso infelizmente não tem como mudar.
    Sem contar muitas outras observações que não cabem ser feitas aqui no blog, hehehe, mas sim pessoalmente.
    De qualquer forma, te peço desculpas por estar meio ausente na tua vida!

    Tu sabe que pode contar comigo sim, é só me chamar, poxa!!!

    Te amo. Beijão!

    ResponderExcluir
  14. oi Ju, parece que o dia 18 foi uma encrenca geral!!! meus últimos dias não foram dos mais agradáveis, e num momento de solidão forçada (eu pedi e me senti uma coisa pior de pessoa) é que eu percebi como eu tava querendo transformar as pessoas. Fiquei muito chateada, mas permiti que a tristeza conversasse comigo. Dei uma nova desacelarada. Maria Rita brigou um monte comigo nesta semana. Serviu para eu abrir os olhos. Fiquei pensando se a vida não é justamente o não planejar. Viver um momento de cada vez. Sem expectativas em relação aos outros e a nós. Alguns dias depois, posso dizer que melhorei. Acho que o segredo é deixar a vida acontecer. Quando quiser conversar é só chamar!! Ah! Não esqueci a tu ecolata: estamos com a casa em final de reforma e "perdi" meu material de trabalho no meio da bagunça!!! Já chorei por isto, mas agora estou conseguindo rir!!! Vai lá no Universo da Viale ver o novo cabelo da Maria Rita!!! beijos

    ResponderExcluir